Negócios

Como Criar uma Marca? Passo 5: Planejamento de Coleção

Pesquisar materiais, criar um tema, fazer os pedidos, acertar datas de entrega com fornecedores… Planejar uma coleção vai muito além de sentar e desenhar lindos croquis (aliás, esta é a atividade menos exercida no dia a dia de um estilista) que vão se transformar em belas peças. O planejamento é uma das etapas cruciais mas muita gente esquece que ele está atrelado a fatores internos e externos da empresa, por isso quando falta organização os riscos de erros e prejuízos são enormes.

Vamos ao passo a passo correto então! Tudo começa com a pesquisa para a coleção: do tema aos tecidos, passando por aviamentos, acessórios, cartela de cores. Fazer um moodboard e escrever um pequeno texto sobre as ideias centrais ajudam bastante nesta etapa. A partir daí é começar a definir quais serão os materiais usados e a quantidade a se encomendar, assim como os modelos a se desenvolver, ou seja, qual será o tamanho da coleção. É aqui que aparecem os primeiros sinais de desperdício pois fazer pedidos sem ter a noção exata de quanto será usado é um perigo!  Outro ponto fundamental: focar no aproveitamento máximo dos materiais. Muitas vezes, após o corte dos tecidos, as sobras vão inteiramente para o lixo quando poderiam ser transformadas em outras peças. Geralmente, o chefe de produção se encarrega de não deixar esses desperdícios acontecerem. Mas se não dá ainda para pagar o salário dele, vá para a mesa de corte e só autorize a primeira tesourada depois de ter certeza que as sobras serão mínimas!

Paralelamente a isso, é muito importante pensar no mix de produtos oferecidos para maximizar o consumo. Por exemplo, uma determinada estampa pode vender mais se aparecer em diferentes peças (vestido, blusa, saia, top…) e estiver coordenada com cores que combinem entre si (calça lisa + top estampado ou saia estampada + blusa lisa). A estratégia é sempre oferecer “famílias” de produtos para o cliente e deixá-lo com mais opções de compras. Outra dica preciosa: criar produtos-chave, mais conhecidos como “bate-caixa”, e que vão ajudar bastante no faturamento.  Eles devem ter um custo baixo de produção, podem estar presentes em todas as coleções e subsidiar várias outras peças mais elaboradas!

Por fim, tenha sempre um calendário hiper organizado e trabalhe com ele de duas formas: pensando nos prazos de entrega e distribuição, e nas datas comemorativas (Dia das Mães, Namorados, Natal etc). O primeiro item está diretamente ligado ao lançamento da coleção e ao período de liquidações. Lembre-se que para determiná-los é preciso ter estoque em dia e nenhum atraso nas entregas. Já o segundo merece atenção por se tratar de eventos que requerem ações extras e/ou produtos especiais, e gerarem um volume maior de vendas. Pense em tudo isso com cuidado e não caia na tentação de “liquidar porque está todo mundo liquidando” ou antecipar um lançamento só porque “todo mundo já lançou”. Acredite: respeitar seu planejamento vale muito mais para a saúde do negócio do que agir como “maria vai com as outras”!

O próximo post será sobre marketing e comunicação, afinal não adianta ter o melhor produto do mundo se ele não for divulgado!

Se você perdeu algum “capítulo” da série, aqui vão os links:

O Início de Tudo
– O Formato do Negócio
– Plano de Negócios
– A Produção 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.