Semana de Moda de Milão – Dia 03

Post

Por Mirela Lacerda

Milão, assim como Nova York e Paris, tem váaaaaaaarios desfiles por dia, mas os destaques de ontem foram: Jil Sander, Alberta Ferreti, Burberry, D&G, Giorgio Armani, Gianfranco Ferré e Pringle.
A Jil Sander, de Raf Simons, é sempre defensora do minimalismo. Nesta coleção ele renovou o estilo característico da marca com muito tweed texturizado, vestidos retos, terninhos e golas enormes. Tudo era muito austero, ainda mais pelos tons de preto, chumbo e cinza, porém o público-alvo (mulheres executivas) deve adorar.
Jil Sander

A Alberta Ferretti é sempre ultra feminina. Desta vez os vestidos pelos joelhos vieram alternados com casacos volumosos. O melhor mesmo foi a cartela de cores, com tons de azul royal, verde esmeralda, roxo e vermelho-cereja.
Alberta Ferretti
Christopher Bailey conseguiu renovar a Burberry de verdade. Porém, nesta coleção fiquei com a sensação de já ter visto vários looks (tudo bem, casacos são sempre casacos, mas alguns vestidos com babados e mangas fofas não precisavam ser repetidos) em desfiles recentes. Não que estivessem ruins, gostei bastante do uso das texturas e das calças boca-de-sino, além dos colares de pedras enormes e coloridas, mas o impacto da novidade não rolou.

Burberry
Xadrez, argyle, saias abaixo dos joelhos…é uma coleção para senhoras? Não é a D&G, a linha jovem da Dolce & Gabbana, inspirada na realeza britânica, com direito até a lenço na cabeça como o usado pela rainha Elizabeth. Viu? Até ela pode ser fashion! Falando sério, a coleção tinha muito xadrez, em tons de vermelho, azul e marrom e em tecidos transparentes, além de vestidos, bermudas/saias (um look pouco favorável), jeans, e no final, estampas tipo paisley bem coloridas.

D&G
Giorgio Armani pensou em ciganas urbanas (se é que isso é possível). Os looks florais, com rendas, transparências e franjas, marcaram o final do desfile, mas antes houve espaço para as calças de veludo, blusas com babados, flores aplicadas, muitas saias e detalhes de pele.

Giorgio Armani
Mesmo sem Lars Nilsson, o desfile da Gianfranco Ferré aconteceu normalmente e foi uma espécie de homenagem ao estilista, com seus croquis projetados no telão e clássicos que ele adorava trabalhar: camisas brancas, vestidos impecáveis, pantalonas e peças arquitetonicamente construídas.
Gianfranco Ferré
A Pringle of Scotland é uma marca conhecida pelos tricôs. A estilista Clare Waight Keller misturou-os a blusas transparentes, casacos de duplo abotoamento e peças com estampas manchadas em azul. O casaco da foto abaixo foi um dos melhores.

Pringle

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.