Arquétipos

Arquétipos: O Criador

O Criador é o artista, o inventor, o empreendedor, o músico, o escritor… enfim, em qualquer atividade que a criatividade e a imaginação imperam existe uma boa dose do arquétipo em ação. Sua meta é simples: dar forma a uma visão que pode ser, por exemplo, um quadro, a arquitetura de um prédio, uma coleção de roupas ou até mesmo um novo modelo de fazer negócios.

É claro que o Criador é um arquétipo intrinsicamente ligado à moda. Pense em Alexander McQueen, John Galliano, Marc Jacobs, Miuccia Prada, Rei Kawakubo e tantos outros estilistas que adoram subverter conceitos, inovar no uso de materiais ou simplesmente promover a beleza de um jeito não convencional. Por falar nisso, marcas como a M.A.C e a NARS, com suas mil opções de cores e uma boa dose de ousadia, também são personificações do arquétipo.

O Criador é um não-conformista por natureza. Apesar de não ter muito a necessidade de pertencer a um grupo, pois sua autenticidade e auto expressão estão acima disso, ele teme que sua obra não agrade, por isso a insegurança muitas vezes ameaça seu trabalho. Ele também costuma ser perfeccionista ao extremo, o que pode ser sua grande armadilha, já que perfeição não existe!

O arquétipo anda muito presente na cultura contemporânea, porém de formas opostas. Por um lado, temos as inovações tecnológicas, os apps, os e-commerces e tudo mais que está sendo inventado diariamente para facilitar nossa vida e ajudar a expressar nossas visões (Pinterest, Instagram, Snapchat etc). Por outro, temos um movimento “artesanal” que convida ao “faça você mesmo”, à customização e a atividades como os livros de colorir, que supostamente estimulam a criatividade como forma de combater o estresse. De um jeito ou de outro, o Criador nunca foi tão valorizado em nossa sociedade!

Em termos de branding, ele oferece quase que infinitas possibilidades, contando que a premissa da marca seja inovação, criação e um certo questionamento de valores. Lembre-se que o Criador consome para se expressar e não para impressionar os outros, portanto foque em produtos que mostrem que o cliente está no controle do processo criativo e dê asas à sua imaginação!

2 comentários sobre “Arquétipos: O Criador

    1. Oi Andreia, não existe um simbolo que defina o arquetipo. Você pode associar o criador a qualquer atividade artística ou qualquer iniciativa ligada à criatividade, inovação, imaginação, ‘pensar fora da caixinha’. O mais importante é entender a atitude por trás do arquetipo e o que ele desperta nas pessoas, ok?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.